quinta-feira, 19 de abril de 2012

Paródia Arcádica

Na aula de Poesia Brasileira , do Prof. Paulo Seben, na UFRGS, eu refiz um poema, atualizei.


LIRA III

Tu não verás, meu amor, cem cativos
todos acorrentados trabalhando
agora são's chineses todos juntos
que'stão fabricando.

Não verás a miséria deste povo
que vara dia e noite costurando
roupas da nike e adidas, tênis novo
que tu andas comprando.

Não verás chinesinhos numa indústria
produzindo o brinquedo do teu filho
que compras orgulhoso, com minúcia
de acordo co'brilho.

Não verás o suor de toda China
que montou teu 'pecê', peça por peça,
pois não conhecerás essa chacina
que a mídia não expressa.

Verás somente filmes e novelas
que aparecem nas telas conectadas
a'um mundo sem desgraça, na janela
onde nada passa.

Enquanto nós compramos na internet
roupas de carnaval bem coloridas
para comemorarmos com confete,
com muita bebida.

Cantarás para mim alegres músicas,
Tu me farás gostosa companhia,
dentro da nossa casa bela e rica,
junto eu cantaria.

E quando não tiveres mais beleza,
Meu bem, aplicaremos um botox,
E tu ficarás belo, com certeza,
um jovem xerox

Um comentário:

Fab disse...

muito tri esse, gostei mesmo!

A China não vai durar muito, pode acreditar. É um regime temporário...é uma pena que os outros países fecham os olhos para o que acontece lá, pois dessa forma se beneficiam também, indiretamente, do trabalho escravo.

Inclusive, sobre esse assunto, o livro 'why nations fail' foi recentemente lançado, trata da nova teoria do que faz um país 'dar certo' (no longo prazo):

http://www.amazon.com/Why-Nations-Fail-Prosperity-ebook/dp/B0058Z4NR8