domingo, 18 de março de 2012


A POESIA

Ela nasce quando a tua cabeça tá pra explodir,
teus sentidos a mil e nada sossega teu ser.

Quando tu quer gritar e não pode,
e quer falar , mas não tem ninguém,
e quer sentir algo mais forte.

Uma facada no peito resolveria,
um ataque cardíaco resolveria
e até um assassinato te deixaria mais calmo.

Mas o bairro é muito seguro
e o teu coração é bem forte.

Então me entrego a maldita poesia,
me rendo as palavras,
deixo com que meus sentidos me dominem
e escorreguem pras teclas do computador.

Meu cérebro começa a funcionar,
a raiva é o carvão pras conexões neurais,
é tanta energia transferida pra um lugar só
que as minhas mãos começam a trancar
e não dá pra resetar o meus músculos.

É uma fonte de energia tão forte que se forma
que precisa de um estabilizador especial
pra que o sangue continue correndo.

Nenhum comentário: