quinta-feira, 18 de novembro de 2010

CONSTATAÇÕES

O sol só me congela dentro do ônibus; mais que as pessoas de olhares frios.
O cenário não é mais importante que os sorrisos.
A grama verde dá destaque pra minha pele e meus cabelos.
Quanto mais me especializo no subjetivo, menos graça tem ele.
Minha vida pode ser organizada em tópicos borrados e coloridos, junto com desenhos sem sentido e cheiro de creme para mãos de morango.
Cada vez mais compreendo a poesia nas coisas objetivas.
Quem não estar perto é superficialmente apagado.
Quando repenso de uma maneira criativa parece fácil.
Roupas e livros tem relação com o meu humor: os livros o modificam e as roupas o comprovam.
As notas musicais possuem diversas cores.
As cores lembram música.
Sinto hoje mais amor pela palavra.
Vejo mais arte dentro da ciência do que ciência dentro da arte.
Os morfemas se ligam e criam uma melodia comunicativa.
Gostar de algo sem poder manifestar perde a graça.
Silêncio meio a palavras fonológicas é irritante.
Mudar é necessário.

Yádini Winter

3 comentários:

Anônimo disse...

qualquer um acha que faz boa poesia, né.


te falta maturidade para perceber o mundo.

Yádini Winter disse...

te falta maturidade pra se identificar. :O

Paulo Seben disse...

Não esquenta, Yádini; tem mesmo gente cretina nesse mundo...