segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Ah, Pombinha...

"E continuou a sorrir, desvanecida na sua superioridade sobre esse outro sexo, vaidoso e fanfarrão, que se julgava senhor e que no entanto fora posto no mundo simplesmente para servir ao feminino; escravo ridículo que, para gozar um pouco, precisava tirar da sua mesma ilusão a substância do seu gozo; ao passo que a mulher, a senhora, a dona dele, ia tranquilamente desfrutando o seu império, endeusada e querida, prodigalizando martírios, que os miseráveis aceitavam os contritos, a beijar os pés que os deprimam e as implacáveis mãos que os estragulavam.
                       -Ah, homens! homens! ... sussurou ela de envolta com um suspiro. "

O cortiço -Aluísio Azevedo

Pombinha demorou, mas entendeu a verdadeira lógica do mundo!

Um comentário:

Akira Fujimoto disse...

Yeah, a gente sofre com um sorriso no rosto... testosterona maldito