quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Chuva cor de sangue

As gotas, como pequenas e finas lâminas,
rasgam caixas e arquivos antigos - depressivos;
elas fazem de mim escrava, imóvel e solitária,
deixam sangrando momentos que deveriam ser apagados.

A chuva está lá fora, longe de mim, inundando os outros,
mas, ainda sim, me sinto hemorrágica,
feridas das mais tristes e pesadas lembranças.

Guardas-chuva podem ser coloridos;
as botas, resitentes; relógios, a continuar funcionando;
de nada adianta, pois meu coração, nu de proteção, sofre.

Pinga, gota; pinga, sangue; poça de lembranças,
vão fluindo meus rancores e âncias, diluindo,
formando o meu mar de veias e artérias cortadas

Yádini Winter

Um comentário:

Icyng disse...

Bem... depre D: - E é ânsias ._.