domingo, 2 de março de 2008

Outro Lugar

Fazia tempo que eu não sabia pra onde olhar,
não sabia o que sentia, o que deveria sentir,
não sabia se meus olhos eram pretos ou marrons,
se eles podiam enxergar o que eu realmente sinto,
se eles poderiam chegar aonde eu sonho chegar.

Em qualquer lugar em que eu me encontrasse perdida
eu sabia que tinha várias companhias,
as lembranças em cetim branco,
que não amassam depois de uma noite, nem duas.

Eu sei que eu poderei voar por aí
quando conseguir me compreender, cada sentimento,
cada coisa que eu pensar, terá um porque, terá uma razão.

Observando o céu azul lembrei dos seus olhares e gestos,
as coisas que você fazia quando dormia,
os seus cabelos com cheiro de rosa, as suas bocas,
elas nunca vão me abandonar.

Já é hora de ir para outro lugar,
longe daqui, longe desse mundo,
me sinto forte agora e o próximo passo
é voar.
Yádini Winter

4 comentários:

Darto disse...

naquele sol de sábado, você tava descontrolada, não sentia o corpo, estava emocionalmente abalada, ficara com ilusões de que estava cega, agora está querendo voar, continuo afirmando pare com as drogas menina, mas a propósito achei lindo o texto, mas ainda acredito que voar é para covardes, sem pedras nem obstáculos no caminho, nuvens e vento apenas, longe de todos lá encima, sem sentir o chão de onde veio, até borboletas vem da terra ...

Boninha disse...

Lembranças em cetim branco são fantásticas. *-*

E voar é sempre bom, mesmo que seja só em pensamento!!!
Beeeijo

Jade Lopes disse...

yadini do vôo
:@

Dumuro disse...

See Here or Here