quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Sol de Sábado


Todo dia de manhã acordo sem saber onde estou,
sinto que o sol me quer na praça esta tarde,
penso nas flores cor de laranja com gosto de caramelo,
gosto do perfume de sábado a tarde.

Sempre que olho para o céu eu vejo uma estrela,
e ela corre, foge de mim, mas sempre volta,
eu encaro, ela, vermelha, sorri.

Mas eu sei que o sol voltará mais vezes para rirmos,
eu sei que tudo isso vai ficar guardado nesses raios,
sei que a luz nunca vai esquecer esses momentos.

Quando a noite chega não sei aonde ir, como me sentir,

não sinto meus pés, fico cego, choro e sossego.

Yádini Winter

6 comentários:

Eduardo Stigger disse...

Muito bom, cara! Ficou bem modernista, esparso, complexo e disconfigurado, mas ao mesmo tempo faz sentido! Eu adorei.
Esse foi um dos teus melhores.

=*

Fox disse...

Sorry. Look please here

Boninha disse...

Hoje é sábado, e tá nublado. :(

Mas o poema tá mto bom =D hahaha

Merr disse...

This comment has been removed because it linked to malicious content. Learn more.

Marisar disse...

Attention please!
->> Remove Viruses! <<-

Darto disse...

Usar drogas é perigoso