quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

Roubo na Madrugada


Três palavras à meia-noite
foram sussurradas ao pé do ouvido
de um João ninguém que passeia a noite
e de sua família escondido.

Rouba as flores cor-de-vinho,
e na madrugada se some,
ninguém viu e ninguém vê,
por onde vai aquele homem.

Três gestos, três olhares,
ele sentiu em seu peito,
que fugiram logo após
de ver Maria de joelhos.

Três contas de Pai-nosso
três bocas de João,
apareceram assustadas
depois de levar um xingão.

Dona Maria que não gosta,
nem um pouco de João,
o xingou por roubar suas rosas
e também seu coração.

Yádini Winter

Um comentário:

Fanny Webber disse...

Parece poema de versinhos...aqueles que as crianças cantam nos dias das mães. UHAHUHUAUHAHUA

beijo beijo

www.faneinbox.com