sábado, 22 de setembro de 2007

O Baile - parte II

Chegando na frente do espelho, fiquei observando-me: meu longo e bufante vestido de seda vermelho, que deslizava delicadamente entre as minhas curvas e voltas; meu cabelo preso por apenas duas presilhas de ouro, que ganhara no natal passado, deixando assim pequenos chumaços caindo sobre os meus ombros nus e límpidos; e meu colo coberto por um colar com um enorme diamante vermelho. Fiquei dando voltas e jogando os cabelos para trás, como se estivesse dançando. Ao ficar em frente ao espelho me senti o centro das atrações, eram cada vez mais olhares, olhares famintos, carnívoros e predadores. Quando fiquei parada olhando para os meus olhos no espelho, chega um moço jovial e misterioso e sussurra ao meu ouvindo: “780 reais”. Virei-me como num susto - e que susto!- e fiquei a encara-lo, afinal o que ele pensava que eu era, porque achava que eu ia me vender dessa maneira?! Ele ficou me olhando, pacientemente, esperando por uma resposta mais direta, então disse: “No pequeno bosque da rua dos Pinheiros”. Alguém pode me dizer porque eu fui falar isso? Porque, eu, não percebi. Fui fissurada por aquele olhar galante e misterioso, como se me alimentasse, como se eu precisasse dele; uma força maior e mais forte agia sobre mim naquele instante, eu não tinha controle de nada. O moço me olhou com um olhar possuidor e deu uma cínica risada de canto, se aproximou de mim, enlaçou as mãos na minha fina cintura e sussurrou novamente entre meus cabelos: “Às 21 horas estarei lá”. E, eu, me deixando levar por aquela dança enfeitiçada, respondi que também estaria lá e que esperaria o tempo necessário para satisfazer o senhor ... :

- Senhor Wallabe, mademoiselle. – Isso! Para satisfazer o senhor Wallabe e seus desejos e olhares possuidores de mim. Ele colou o meu corpo ao seu e começou a girar e dançar galantemente pelo salão principal:

- E a mademoiselle, como se chama?- disse ele num tom romântico e cortenjante.

- Isadora Dereviè, prazer em conhece-lo. – falei amedrontada com tudo aquilo que seguia acontecendo louca e tão rapidamente.

[to be continued] - Yadini Winter

2 comentários:

Fabrízio K. C. disse...

começou, já virou puta dhasiudhasuidha
estilo M.R., aposto q a parte do "centro das atenções" e "carnívoras" veio do meu comentário anterior ^^
tá ficando tri

bjos

Jade disse...

ei, achei que eu tinha comentado aqui!
belo conto, ou parte de conto
será que vai virar um conto erótico?
;@@